sábado, 27 de maio de 2017

Queen of Hearts

I know.

Música: The Ribbon
Autor: Rodrigo Amarante
Álbum: Cavalo (2013)


***

"Son, he said
I knew you would
Hell can only do you good
You’ll be where you should
So I kissed the ring
I missed the hand"

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Música Salva! (27) - Venerdì, 26. Maggio.

Foram poucos, "venerdìs, 26, maggio" desde 1994.
Em uma "travel on sunbeams in high speed" no tempo que fiz agora aqui, contei só 3.
Como o próximo ainda demora uns anos, é preciso fazer esse valer.
E pra celebrar mais um dia tão "comúnico", só mesmo ao som de uma das favoritas.
 
A verdade é que nem Ela anda lá salvando muita coisa ultimamente, mas essa, ah, essa Música é especial. Mereceu sempre entrar pra lista das terapêuticas.
 
***
 
Cause "Suburban Kids With Biblical Names" é um dos melhores nomes de banda;
Cause essa é uma das melhores músicas;
 E claro, cause quase tudo it's been thrilling us since 1994.

1999 - Suburban Kids With Biblical Names
Álbum: #4

***

"Sometimes I go back to where I was before I was it
And don't come back before it kills
Cause it's been thrilling me since 1994
I wouldn't tell you this but all things have a price
So I might as well tell:
You were always on my mind
I could have been there all the time
But that's the wrong path"

***
 
"Don't you see what this means?
Something deeper"

***

 E sim, I remember the bad weed
Getting high on the balcony

mas eu também sempre remember the part good.

***

Wrong path.


***

Pra quem não gosta puro, tem versão on the rocks também:

 E se o trompete desafinar um pouco, vai perdoando o frio aí, meu camarada, um pouco de compreensão, por favor.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Gila

 "Pick apart the past, you're not going back
Don't you waste your time
No, oh, oh, oh"

***

 "Man, you got a lot of jokes to tell"

sábado, 20 de maio de 2017

Cornerstone

A minha preferida do Humbug, uma das melhores deles.
Dolorida de todas as formas possíveis.

Tricky lyric.

Música: Cornerstone
Banda: Arctic Monkeys
Disco: Humbug (2009)

***

"And I elongated my lift home,
Yeah I let him go the long way round
I smelt your scent on the seat belt
And kept my shortcuts to myself"

***

***

Pelos Battleships e Rusty Hooks da vida...

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Like a stone

E nem há mais o que precise ser dito depois de uma música como essa.
Perfeita.
 Letra, música, interpretação, vídeo...

Entre as minhas favoritas desde 2002, quando a MTV ainda era um canal que tratava de música.

O problema é que a mesma dor que às vezes possibilita a existência de uma obra poderosa como essa, volta e meia cobra um preço caro e insustentável.

"And on my deathbed, I will pray
To the gods and the angels
Like a pagan, to anyone
Who will take me to heaven"
 
"É uma canção sobre a concentração na vida após a morte pela qual você esperaria, ao invés da abordagem monoteísta normal: você trabalha duro toda a sua vida para ser uma boa pessoa, uma pessoa moral, justa e generosa, e você irá para o inferno de qualquer jeito."

- Chris Cornell (Wikipédia)

***

On a cobweb afternoon
In a room full of emptiness
By a freeway, I confess
I was lost in the pages
Of a book full of death
Reading how we'll die alone
And if we're good, we'll lay to rest
Anywhere we want to go

In your house
I long to be
Room by room
Patiently
I'll wait for you there
Like a stone
I'll wait for you there
Alone

And on my deathbed, I will pray
To the gods and the angels
Like a pagan, to anyone
Who will take me to heaven
To a place I recall
I was there so long ago
The sky was bruised, the wine was bled
And there you led me on

In your house
I long to be
Room by room
Patiently
I'll wait for you there
Like a stone
I'll wait for you there
Alone
Alone

And on I read
Until the day was gone
And I sat in regret
Of all the things I've done
For all that I've blessed
And all that I've wronged
In dreams until my death
I will wander on

In your house
I long to be
Room by room
Patiently
I'll wait for you there
Like a stone
I'll wait for you there
Alone
Alone

***

Like a stone.
 

quarta-feira, 17 de maio de 2017

I was the dirty little boy

Eu era?

***
 
Pele nova para a antiga cerimônia:

Is this what you wanted - Leonard Cohen
Album: New Skin for the Old Ceremony (1974)

***

"...haunted by the ghost of you and me..."

***

 De brinde vai a versão no mínimo pélvica dos últimos fantoches de sombra, com o líder dos macacos árticos revelando mais uma das suas muitas facetas desde "I bet you look good on the dancefloor":

 Is this what you wanted - The Last Shadow Puppets
Everything you've come to expect (2016)

domingo, 14 de maio de 2017

Minha mãe, minha avó...

Em tempos sem cabimento, só as mães salvam.
As mães, as a-mães, as bisa-mães, as tatara-mães...
Afastam os pesadelos, o mau agouro, as aves de rapina.
Espantam o bicho-papão, açoitam o presidente.
Aliás, os presidentes, todos eles.
Açoitam sem dó. 

E é por esses e outros inúmeros e maravilhosos super poderes, que se deve lavar muito bem a boca e fazer gargarejo com mel antes de dizer "mãe" ou "vó".

Com amor, mãe, com amor, vó.

Música: Cabimento
Autores: Arnaldo Antunes / Paulo Tatit
Disco: Saiba (2004)

***

E a tempo pro almoço de domingo!
Mas antes eu vou tomar um sol quente e uma cerveja gelada, que é pra já chegar bronzeadamente engraçadinho.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

10.000KM




***

El dolor de la bellesa - Roger Mas & Cobla Sant Jordi

"...convulsions I tensió muscular..."
 
***

Nothing Matters When We're Dancing - The Magnetic Fields

"...let's pretend this song won't end..."
 

domingo, 7 de maio de 2017

Guaranteed

Selvagem.
Mais domesticado do que nunca.

Música: Guaranteed
Compositor: Eddie Vedder
Disco: Into the Wild (2007)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

I don’t feel at home...

...in this world anymore.

***

"I'm gonna walk around
And bury my heart
Where it won't be found"

***

"Digging around"

sábado, 22 de abril de 2017

Spy

Música: The spy
Banda: The Doors
Álbum: Morrison Hotel (1970)

***

A minha versão favorita:

 

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sinal fechado

eu
vou indo
vou indo
vou indo
vou indo
vou indo
indo
vou
indo
corr
endo
indo
e
vou
cê?

***

terça-feira, 4 de abril de 2017

Porque é a chuva imóvel que rega o bom Carvalho

Nestes campos invadidos pelos burraldos e seus diplomas de ceifadeiros, taí um Carvalho que vale realmente a pena cultivar. 

Mas, como já bem adverti(ram): eu sei mesmo é pôrranenhuma desses campos gerais.

Sou só um lavrador de fixações, alienado de tamborete, brandindo tonlonlons do fundo do meu quartinho.

Mesmo assim, embora-apenas-muito-eventualmente, passeando entre bons campos de carvalho, até mesmo eu sou capaz de colher alguns frutos.

Eis uma safra.

***

“o que é é, e basta”
 
“os cachorros da véspera”

“para espalhá-lo na ionosfera como manda a higiene.”

“nem me desfiz de Deus para cair nas mãos desses pândegos”

“mas só eu sei do meu vazio e isto me dá uma vantagem de pelo menos quatro séculos sobre qualquer tipo de tortura deles: mesmo esta.”

“apesar de toda a culpa que tenho e sei que tenho, como todos têm a sua a qualquer hora do dia ou da noite!”

“(O sistema solar: mas que bela teoria! Quero vê-lo é funcionando!)”

“o que pensem, o que eu pense, já não interessa: só importa o testemunho.”

“mais preocupado em conjugar os verbos do que em descobrir minha própria voz, sobretudo calado.”

“mais preocupados com os pronomes oblíquos do que com a verdade”

“deixo as contradições para os que não tenham nada mais sério em que pensar”

“o que pode pensar um lógico através dos seus poros é que eu não sei.”

“todo o peso da estratosfera sobre os ombros”

“é possível até que me julguem um cidadão respeitável, o que de si já me tiraria todo e qualquer respeito.”

“têm que ter no mínimo a força do raio ou a do mistério – senão não valeria a pena ser homem”

“brandindo a sua espada como qualquer feiticeiro de subúrbio”

“a chuva é porque é a chuva, não sou planta nem defunto para ter que suportá-la ano após ano, dia após dia e a mesma sempre: muito menos um dilúvio destes”

“ali mora o bispo com todos os seus intestinos”

“ele é mestre em issos e aquilos”

“o emblema do município entre as pernas”

“me vingo espiando as estrelas”



“alvará da prefeitura ou do universo”

“o que sou mesmo é um homem e voltarei a ser: questão apenas de tempo e confiança”

“túnica inconsútil”

“a importância que tem a morte de um avô, é o que eu sempre me digo!”

“com esse copo na mão eu seria capaz de recordar até o futuro”

“nos esgotos também corre a alma de um rio”

“essa gente grita para não se ouvir, se se calassem acabariam por perder a voz, acabariam uivando como eu”

“cevar a terra antes de esquartejá-la e mandá-la às nuvens”

“terei que antes fazer um curso de blablablá, como aprendi a fazer a barba todo dia desfazendo-a”

“decidi ser imortal até que sobrevenha a morte”

“ver Nápoles depois morrer”
 


“um outro mundo de repente, sem geografia e sem sustos”

“peidando na hora exata”

“Beethoven e suas jubas protegendo-me de olhares indiscretos”

“coronel de merda, de merdíssima!”

“mandei também a lua à merda”

“a última chuva dentro do bolso”

“o que vale a pena ser dito é incomunicável”

“continuam a fazer poemas, e novos poemas, alguns até sem vírgulas e sem maiúsculas, xingando Deus e sonhando com a academia”

“sou mesmo o último dos canalhas”

“um homem deveria morrer sempre nu ou vestido de almirante”

“à noite um pouco ou muito de Bach para manter acesa a chama”

“o padre ao lado me olhando com repugnância, este cheiro de puta não há latim que aguente”

“como uma chuva imóvel”

“transeuntes caminhando nos meus olhos e nas minhas veias”

“tranquilos e ferozes como deuses, no seu anonimato e na sua covardia”

“podem me fazer girar como um pião, mas é em torno de mim que eu giro, não em torno deles, este é o meu sistema solar e desafio-os a arrancar-me o sol como podem fazer com o seu, eles que se julgam os donos de tudo e são os donos de nada, e se apavoram com o Nada de que vieram e a que estão sempre voltando.”

“espero pelo pior, mas já a esta altura o pior será apenas mais um motivo para eu lhes lançar meu testemunho no rosto, o meu testemunho e o meu cuspo, e não apenas em meu nome mas no de todos, desde que o homem foi inventado e com ele o câncer e a bomba atômica, a cadeira elétrica ou o amor não-correspondido.”

“esta chuva imóvel serei eu que estarei cuspindo”

 
***

 (Campos de Carvalho - A chuva imóvel)